sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Abicalil e CNBB manifestam repúdio à campanha de criminalização do PT!!!

Da Assessoria

O deputado federal Carlos Abicalil (PT) participou de audiência, quinta-feira (07.10), com o assessor político da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), Pe. José Ernanne Pinheiro, em Brasília. Para trataram da mobilização de leigos católicos contrários à campanha caluniosa e difamatória disseminada por grupos religiosos encarregados de criminalizar o PT e os petistas.

A Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), organismo da CNBB, confeccionou e publicou carta (DOCUMENTO ANEXO) na quarta-feira (06.10), em que manifesta notória preocupação com o momento político na sua relação com a religião. Segundo o documento, “muitos grupos, em nome da fé cristã, têm criado dificuldades para o voto livre e consciente”.

A carta enfatiza a posição da CNBB em defender a livre escolha dos eleitores. “Constrangem nossa consciência cidadã, como cristãos, atos, gestos e discursos que ferem a maturidade da democracia, desrespeitam o direito de livre decisão, confundindo os cristãos e comprometendo a comunhão eclesial”, destaca trecho do documento.

Para Abicalil, a campanha caluniosa e difamatória disseminada por grupos religiosos encarregados de criminalizar o PT e os petistas tem nítido interesse de confundir o povo de Deus e ocultar seus vínculos de adesão à candidatura conservadora tucana. “Multiplicam-se as manifestações de teólogos, autoridades, movimentos, leigos e religiosos, como as manifestações da CBJP. Certamente outras manifestações de pastorais sociais, bispos, leigos, religiosos, comunidades preocupadas com a justiça social e a defesa da vida e comprometidas com a mudança e a superação da miséria e da fome, que viemos construindo com a sociedade no governo Lula, também serão disseminadas, prevalecendo à verdade”, disse.

Denúncia – A jornalista Maria Inês Nassif do jornal Valor Econômico publicou matéria em que denuncia bispos e padres de praticarem proselitismo político contra a candidata Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, no dia 3 de outubro, quando houve o primeiro turno das eleições presidenciais no Brasil.

Segundo a denuncia, presbíteros e bispos do Regional Sul 1 da CNBB induziram os fiéis a crerem que o panfleto daquela regional representava o pensamento da entidade nacional.

O texto foi distribuído na saída das missas. Os presbíteros e bispos se valeram da condição de religiosos e divulgaram panfletos contra a candidata do PT em local público, argumentando que as propostas de Dilma Rousseff seriam contrárias aos “valores cristãos”.

Apesar do desmentido da CNBB nacional, o documento foi distribuído em diversas igrejas de São Paulo, causando, segundo a opinião de analistas e da maioria dos meios de comunicação, um considerável prejuízo às candidaturas do PT. Em Mato Grosso, muitas igrejas reproduziram o mesmo procedimento.

Abicalil continua, hoje, em Brasília, onde, além de expediente na Câmara dos Deputados, acompanha a reunião da Executiva Nacional do PT.

Nenhum comentário:

WMblog.blogspot.com - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por: Rodrigo Vidigal