domingo, 29 de maio de 2011

Maio: um Mês Mariano por excelência

O mês de maio é, por antiga tradição cristã, um mês dedicado à Santíssima Virgem Maria. Um mês no qual expressamos nosso zelo e cuidado com os exercícios da piedade mariana e sentimos, ainda mais, no fundo de nossas almas que a Virgem Maria nos conduz a Jesus Cristo. Durante os trinta e um dias do mês de maio ressoam em nossos corações as palavras do evangelista Lucas: “Ao ouvir a saudação de Maria, Isabel ficou cheia do Espírito Santo!” (Lc 1, 41). Assim como aconteceu com Isabel, a cada novo dia do mês de maio, quando permitimos que as fecundas lições e as humildes palavras de Maria ressoem em nosso íntimo, nós sentimos o fogo renovador de Pentecostes purificando-nos, iluminando-nos e enviando-nos ao encontro das necessidades do nosso próximo.

Por ser o mês mariano por excelência, o mês de maio demonstra para todos nós um caminho mariano de identificação com o Cristo, um belo e estreito caminho que nos conduz ao Imaculado Coração de Maria, onde podemos alcançar os extraordinários dons da misericórdia divina. A devoção mariana testemunhada, sem reservas, no mês de maio evidencia ao mundo que “onde o Filho está não pode faltar a presença da Mãe... Se a seguimos docilmente a Virgem nos conduz a Ele!”. (Papa Bento XVI, Regina Caeli em 08 de maio de 2011). Quando imitamos sua fé, sua humildade, sua pureza e sua santidade, a Virgem Maria sussurra nos nossos ouvidos: “Fazei tudo o que Ele vos disser!” (Jo 2, 5). Podemos perguntar à Virgem Maria: O que o Cristo tem a nos dizer no mês de maio? Ela certamente nos responderá: A cada novo dia do mês de maio, o meu Filho Jesus está te dizendo: Persevera na fé e na justiça! Degusta o sabor divino dos sacramentos, especialmente o precioso sabor da sagrada Eucaristia! Sente e vive a Minha misericórdia e triunfa do mal com a abundância do Bem!

O mês de maio é o mês no qual celebramos a Memória de Nossa Senhora de Fátima, quando permanecemos de joelhos aos pés da Virgem Maria, em nossa cova da Iria, rezando o Rosário e o Ofício de Nossa Senhora, suplicando a conversão dos pecadores, a paz no mundo e o triunfo do Imaculado coração de Maria. Unidos a Nossa Senhora, que se revelou uma bondosa Mãe em Fátima, nós sentimos que onde está a Virgem Maria está Cristo e o Espírito Santo que procede do Pai e do Filho. Em especial, no mês de maio, unidos a Nossa Senhora de Fátima, nós não poupamos esforços no trabalho de divulgação da Boa Nova; sublinhamos, ainda mais, a razão da presença orante de Nossa Senhora em nossas vidas e, por sermos membros da Igreja, testemunhamos a transformadora força do Alto.

O mês de maio passa ao ritmo do coração, no embalo da Liturgia, no compasso do serviço e da piedade e termina com a Festa da Visitação de Nossa Senhora. Nesta piedosa Festa mariana, nós coroamos a Virgem Maria. E assim, de algum modo, nesta Festa, nós voltamos a ser crianças que cantam em uníssono: “Senhora, Rainha, tão linda estás. Trouxemos presentes para te ofertar!” Reafirmamos nosso sim a Deus e à Igreja. Fazemos carreatas pelas nossas cidades, levando a Virgem Maria para junto do Povo de Deus e tentamos esticar ao máximo as últimas horas do mês de maio, pois, nesse mês, cada nova hora é a hora de Maria; cada novo dia é o dia de Maria e a perseverança nas orações marianas é, acima de tudo, a atualização do sim da Santíssima Virgem que reflete sobre a humanidade o Dom de Deus.

Por tudo isso, é bem significativo que o trigésimo primeiro e último dia do mês de maio nos ofereça a Festa da Visitação de Nossa Senhora, pois, olhando para todos os dias desse mês, percebemos que durante todo o mês mariano nós vivemos uma contínua visitação, um prolongado encontro com a Virgem Maria, a permanente presença de Maria em nossas famílias e uma plena sintonia com nossa zelosa Mãe, a Nossa Senhora dos caminhantes. Por conseguinte, antes de nossos relógios marcarem o início do mês de junho, aproveitamos os últimos segundos do mês de maio para reafirmar a Deus o nosso propósito de continuar trilhando o caminho de santidade que Nossa Senhora nos apresenta, a fim de que esse caminho de santidade se prolongue, sempre mais, nos dias do ano que segue. Doce e amada Mãe, nos dias do ano que segue, queremos continuar exclamando: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!”. (Lc 1, 41-42).

Aloísio Parreiras
(Membro do Movimento de Emaús/Brasília)

Nenhum comentário:

WMblog.blogspot.com - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por: Rodrigo Vidigal