segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Campanha da Fraternidade será lançada no dia 13 de fevereiro

Será lançada no dia 13 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, mais uma edição da Campanha da Fraternidade (CF). Esse ano o tema será “Fraternidade e Juventude” e o lema “Eis-me aqui, envia-me Senhor”

Após 21 anos da Campanha da Fraternidade de 1992, que abordou como tema central a juventude, a CF 2013, na sua 50ª edição, terá a mesma temática. A acolhida do tema “Fraternidade e Juventude” tem como objetivo ter mais um elemento além da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para fortalecer o desejo de evangelização dos jovens.


O presidente da Comissão para Juventude da CNBB, Dom Eduardo Pinheiro, explicou que uma das metas principais da CF 2013 é olhar a realidade juvenil, compreender a riqueza de suas diversidades, potencialidades e propostas, como também os desafios que provocam atitudes e auxílios aos jovens e aos adultos.

O objetivo geral da Campanha é acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna, fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz.

“Dentro do sentido da palavra 'acolher' está o valorizar, o respeitar o jovem que vive nesta situação de mudança de época e isso não pode ser esquecido”, destacou o presidente da Comissão para Juventude da CNBB.

Na Arquidiocese de Aparecida (SP), o lançamento da CF 2013 será no dia 31 de janeiro, em Guaratinguetá, às 19h30. A abertura será feita pelo Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, com as presenças dos padres Leandro, assessor da CF na Diocese de Taubaté e o Padre Evaldo César do Comitê Local da Jornada Mundial da Juventude

Fonte: Canção Nova

Troque a folia de Carnaval por dias de orações no Rebanhão

Cerca de 50 mil pessoas são esperadas para os três dias de Rebanhão. O encontro acontece tradicionalmente no Ginásio Nilson Nelson, sempre nos dias de Carnaval. Já em sua 27ª edição, o evento está marcado para os dias 10, 11 e 12 de fevereiro e é organizado pela Renovação Carismática Católica, a RCC.

Em 2013, o evento terá as participações do Padre Moacir Anastácio, da Comunidade Renascidos em Pentecostes; do Coordenador do Ministério Jovem da Bahia, Damião Dias; do coordenador do Ministério de Pregação do DF, Ivan Morais e da presidente do Conselho da RCC Kédina Rodrigues.

Segundo a Dona de Casa Mari Lisboa Silva, "O carnaval de Deus é o melhor que tem!". Já o radialista Roberto Valcaster diz lembra a importância do evento: "No nosso cotidiano, sofremos muito com tantas desavenças, tantas coisas ruins, que nós buscamos aqui no rebanhão um momento espiritual bastante fortalecido para todos nós.", afirma.

Outras informações do evento podem ser encontradas no site www.rccbrasilia.org.br ou por telefone no escritório da RCC, pelo número 61.3224-8586.

Com informações do G1 e RCC
Caio Lima

sábado, 5 de janeiro de 2013

Falsas doutrinas e falsos pastores

Conta a história, que certa vez Napoleão Bonaparte respondeu a um dos seus soldados, que lhe sugeriu criar uma religião: E ele disse: “Meu filho, para alguém fundar uma religião é preciso duas coisas: Primeiro, morrer numa cruz; segundo, ressuscitar. A primeira eu não quero; a segunda eu não posso”.

Fico impressionado ao ver, hoje em dia, um simples mortal ousar fundar uma religião e uma igreja. Daí surge a pergunta! Com que autoridade? Com que direito? Só mesmo a soberba humana pode explicar essa ousadia. Só mesmo o orgulho de um suposto “iluminado” pode levá-lo a tal ousadia. Mas para se entender esta insensatez sempre encontramos a triste realidade de um homem, na maioria das vezes, revoltado, problemático, cheio de exibicionismo, proselitismo, às vezes charlatanismo...Ou um suposto Profeta iluminado que interpreta a Bíblia a seu bel prazer.

Só Jesus Cristo tem o poder e a autoridade de fundar a Religião e a Igreja. E ele estabeleceu neste mundo a sua Igreja; e não deu autorização para ninguém fundar outra. O que Ele fez foi dar autoridade a um homem para guiar e administrar esta igreja que Ele fundou juntamente com os sucessores que viriam posteriormente. Confira em (Mateus 16, 18-19).

Como é doloroso ver milhões e milhões sendo enganados por estes falsos Pastores e igrejas que aparecem em cada esquina. Não podemos esquecer que desde o Antigo Testamento Deus alertava vivamente o povo para fugir dos falsos profetas. Conferir em (Jeremias 23, 13-28). No Novo Testamento Jesus Cristo chama a atenção para o fato destes falsos profetas se apresentarem “disfarçados” de ovelhas. Confira em ( Mateus 7,15). Essa é a grande arma dos enganadores. São Pedro também falou aos primeiros Cristãos do perigo das seitas e dos falsos profetas. Confira em: ( 2 Pedro2, 1-3).

Santo Agostinho nos ensina que os pregadores de heresias são dotados de inteligência privilegiada: É necessário uma mente brilhante para conceber e gerar uma heresia. Quanto maior o brilho da mente, maiores as suas aberrações. A história das heresias confirma o quanto Santo Agostinho tem razão.

Não devemos, portanto, ficar surpresos de que as supostas maravilhas realizadas por estes falsos Pastores acontecem também onde impera a mentira e a impiedade. São Paulo, ao falar dessas mesmas realidades aos Tessalonicenses, os prevenia. Confira em ( 2 Tessalonicenses 2, 9-11).

A Bíblia nos mostra o cuidado em preservar a sã doutrina. Confira em (1 Timóteo 1, 10). Ela fala do perigo das doutrinas estranhas. Confira em ( 1 Timóteo 1, 3) fala dos falsos doutores ( 1 Timóteo 4, 1-2). Alerta também a Timóteo sobre essa ousadia dos falsos profetas em ( 2 Timóteo 4, 2-4). Confira também em: ( 1 João 4, 1-3)

Tudo isso é o que ainda vemos hoje. Falsos profetas, doutrinas diabólicas, multidões de supostos mestres, milhares de fábulas, teologia da prosperidade, igrejas em células, G12, falsos Apóstolos, batalha espiritual, movimento de onda gospel, idolatria pelo show na mídia e pelo culto a personalidade. Enfim. Povo enganado.

Estes falsos líderes exploram os ignorantes pelas suas dores, sofrimentos e pelas mazelas sociais. O sistema é uma grande armadilha que ajuda todo esquema para a arte do engano.É muita gente desesperada, solitária, depressiva, desempregada e não amada. Vem então, o supermercado das religiões oferecendo um Deus self-serfice, onde cada um escolhe este Deus a sua maneira. A crise financeira e o conflito pessoal levam qualquer pessoa sem fundamento da santíssima fé cristã a navegar em qualquer barco furado.

Cristo fundou uma Igreja sobre Pedro e não sobre Lutero, Calvino, Wesley, João, Antônio, Raimundo etc... Ele disse; “A minha Igreja” e não “As minhas igrejas”. Disse ainda: Eu sou “O caminho e a verdade” e não: “Os caminhos e as verdades”.

Como nascem os tweets do Papa?

Na produção dos tweets do Santo Padre,
Dom Celli afirma: "o Papa intervém nos textos".
"Quando nos entregamos totalmente ao Senhor, tudo muda. Nós somos filhos de um Pai que nos ama e nunca nos abandona". Foi este o tweet enviado por Bento XVI nesta quarta-feira, 2 de Janeiro. Portanto, voltam os pronunciamentos por ocasião das Audiências Gerais.

O primeiro foi em 12 de dezembro de 2012, data histórica que marcou a estreia do Papa no mundo virtual com um tweet muito lido: "Queridos amigos, é com alegria que me uno a vós via Twitter. Obrigado pela vossa resposta generosa. Abençoo-vos a todos de coração".

O uso do novo meio de comunicação, através da conta @pontifex, foi um gesto explicado indiretamente durante a catequese daquele dia, na qual Bento XVI realçou que "Deus não saiu do mundo, não está ausente, não nos abandonou a nós mesmos, mas vem ao nosso encontro de vários modos, que devemos aprender a discernir".

"O Senhor vos abençoe e vos proteja no novo ano", pode-se ler no tweet de 1 de Janeiro que se refere às escrituras judaicas quer direta – "Te abençoe o Senhor e te proteja" (Números 6, 24) – quer indirectamente, "«Deus tenha piedade de nós e nos abençoe, sobre nós faça resplandecer a sua face" (Salmos 67).

O presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, arcebispo Claudio Maria Celli, falou do modo como nascem os tweets de Bento XVI numa entrevista concedida ao «Tgcom24». "Os departamentos específicos da Secretaria de Estado preparam um texto que o Papa deve aprovar. Nós pensamos e queremos firmemente que os tweets sejam realmente de Bento XVI», disse Dom Celli.

Respondendo às perguntas formuladas por Federico Novella e Fabio Marchese Ragona, o arcebispo realçou que "o Papa intervém nos textos". Dom Celli não esconde que os comentários aos tweets nem sempre foram positivos. "Chegou de tudo. Recebemos mensagens belíssimas, de jovens e menos jovens de vários continentes. Também mensagens irônicas, ofensivas e críticas. Mas confesso que para nós que vivemos neste contexto não foi uma surpresa. Estávamos plenamente conscientes do que teria acontecido: quando o Papa quer entrar em diálogo com o homem de hoje e pôr-se ao seu nível, existem riscos que devem ser enfrentados e aceitos".

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

JMJ Rio 2013 terá mega logística para alimentação

A JMJ 2013 acontecerá no Rio de Janeiro,
entre os dias 23 e 27 de julho.
A Jornada Mundial da Juventude é o maior evento católico jovem que o Brasil vai sediar em 2013. A expectativa é que mais de 2 milhões de pessoar, de várias as partes do mundo, reúnam-se no Rio de Janeiro, em julho deste ano.

Acesse:
.: Todas as notícias sobre a JMJ Rio 2013

Frente a essa multidão, a organização da JMJ elaborou uma estratégia de alimentação para os peregrinos do evento pautada na qualidade, praticidade e diversidade dos alimentos.

O responsável pela área alimentícia da JMJ Rio2013, Nelson Mamede, montou um projeto baseado em estudo, desenvolvido propriamente para a Jornada, sobre o que seria necessário e conveniente para uma refeição saudável.

Entre os meses de maio e junho de 2012, um grupo de nutricionistas reuniu informações e estabeleceu o valor energético total diário que um peregrino deveria ter. O estudo levou em consideração as calorias que jovens entre 16 e 30 anos de idade precisam consumir ao longo do dia, respeitando as características de cada refeição, com seus devidos picos de consumo, assim como peso e altura dos jovens.

As principais preocupações da pesquisa foram segurança alimentar, praticidade e diversificação. Logo, viu-se a necessidade de utilizar também produtos industrializados, isentos de manipulação. A melhor forma encontrada por esse grupo de nutricionistas foi fazer kits de alimentação.

Os cardápios serão de dois tipos: um convencional, para quem não tem nenhum problema de saúde, e outro especial, para aqueles com restrições alimentares. Dentro do último grupo estão o celíaco, o diabético e o vegetariano. O cardápio já foi aprovado por associações de Alimentação no Brasil. “Foi um estudo muito profundo. Esse será um legado que a JMJ Rio2013 deixará para os próximos eventos, porque isso envolve toda uma ciência e tecnologia. Estamos criando outras inovações para o Rio de Janeiro”, afirmou Nelson.

Como será a alimentação

Entre os dias 23 e 27 de julho, o café da manhã será distribuído através de kits. Os peregrinos receberão o café da manhã nos locais de catequeses, que somam um total de 400 pontos. Para o almoço e jantar nesse período, serão distribuídos para cada participante um cartão de refeição. Ele poderá escolher, dentre os restaurantes cadastrados, o local que mais lhe agrada para comer.

De acordo com Nelson Mamede, será montada, com a ajuda da empresa especializadas, uma rede de estabelecimentos comerciais alimentícios credenciados à Jornada. Nesse local, haverá uma refeição com valor diferenciado, de acordo com o destinado no vale-refeição, que será chamado de Prato Peregrino. Há um esforço de sensibilização para a adesão de todo o comércio alimentício do Rio de Janeiro. Até agora 25% dos hotéis, bares e restaurantes aderiram à proposta.

“Estamos no início de um plano estratégico, um procedimento para atingir todo comércio de alimentos da cidade. Isso está sendo desenvolvido em partes. Primeiramente estamos fazendo contato com sindicatos de todos os tipos de alimentação. Será um trabalho difícil, mas também interessante. Por isso, nós ficamos tão felizes da Bolsa de Cereais estar conosco, nos apoiando, porque eles têm um efeito multiplicador. Eles se dispuseram a apoiar o movimento necessário de sensibilização dos hotéis, bares e restaurantes”, destacou o coordenador. O prazo para que a rede credenciada esteja definida é de 60 dias antes do início oficial da Jornada.

Já nos últimos dois dias da JMJ (27 e 28 de julho), quando ocorrerá a Vigília, a estratégia será diferente. As três refeições serão fornecidas por meio de kits, todos eles obedecendo ao critério do valor energético total diário. Sua distribuição ainda está sendo estudada. Somando todas as refeições de café da manhã nas catequeses e na vigília, serão 10 milhões kits.

Estudo da Agência Fides aponta crescimento da estrutura católica no mundo

Apesar da crise demográfica e vocacional que atinge a Europa, a Igreja católica cresce em todo o mundo e particularmente na Ásia e na África.

O resultado emerge do estudo realizado pela Agência Fides (http://www.fides.org/aree/news/newsdet.php?  idnews=33882&lan=por) que apresenta dados extraídos do “Anuário Estatístico da Igreja” (atualizado em 31 de dezembro de 2010) e dizem respeito aos membros da Igreja, suas estruturas pastorais, atividades no campo da saúde, assistencial e educacional.

Católicos no mundo

Em 31 de dezembro de 2010, a população mundial era de 6.848.550.000 pessoas, com um aumento de 70.951.000 em relação ao ano anterior. O aumento global também se aplica este ano a todos os continentes: os aumentos mais consistentes estão na Ásia (+40.510.000) e África (+22.144.000) seguidos pela América (+5.197.000), Europa (+2.438.000) e Oceania (+662.000).

Na mesma data de 31 de dezembro de 2010, o número de católicos era 1.195.671.000 unidades com um aumento total de 15.006.000 pessoas em relação ao ano anterior. O aumento diz respeito a todos os continentes e é maior na África (+6.140.000), América (+3.986.000) e Ásia (+3.801.000); seguem Europa (+894.000) e Oceania (+185.000).

A percentagem de católicos aumentou globalmente 0,04%, num total de 17,46%. Em relação aos continentes, houve aumentos em todos os lugares, exceto na Europa: África (+0,21), América (+0,07), Ásia (+ 0,06), Europa (-0,01) e Oceania (+ 0,03).

Bispos

O número total de bispos no mundo aumentou de 39 unidades, atingindo um total de 5.104. Em geral aumentam os bispos diocesanos e diminuem os bispos religiosos. Os bispos diocesanos são 3.871 (43 a mais que no ano anterior), enquanto os Bispos religiosos são 1.233 (4 a menos). O aumento de Bispos diocesanos diz respeito a todos os continentes exceto a Oceania (-4), África (+13), América (+22), Ásia (+11), Europa (+1). O bispos religiosos aumentam na África (+3), Ásia (+1) e Oceania (+1), diminuem na América (-7) e Europa (-2).

Sacerdotes

O número total de sacerdotes no mundo aumentou 1.643 unidades em relação ao ano precedente, atingindo a cota de 412.236 padres. Mais uma vez a Europa registra o menor índice (-905), enquanto os aumentos se registram na África (+761), América (+40), Ásia (+1.695) e Oceania (+52). Os sacerdotes diocesanos no mundo aumentaram globalmente de 1.467 unidades, atingindo o número 277.009, com um aumento na África (+571), América (+502), Ásia (+801) e Oceania (+53) e ainda uma diminuição na Europa (-460). Também os sacerdotes religiosos aumentaram 176 unidades e são 135.227. A marcar um aumento, seguindo a tendência dos últimos anos, são a África (+190) e a Ásia (+894), enquanto a diminuição se verifica na América (-462), Europa (-445) e Oceania (-1).

Diáconos permanentes

Os diáconos permanentes no mundo aumentaram 1.409 unidades, atingindo um total de 39.564. O maior aumento se confirma mais uma vez na América (+859) e na Europa (+496), seguido pela Ásia (+58) e Oceania (+1). Uma única diminuição, também este ano, na África (-5). Os diáconos permanentes diocesanos no mundo são 39.004, com um aumento total de 1.412 unidades.

Aumentam em todos os continentes, com exceção da África (-6) e da Oceania (nenhuma variação), precisamente: América (+863), Ásia (+60), Europa (+495). Os diáconos permanentes religiosos são 560,3 a menos em relação ao ano precedente, com leves aumentos na África (+1), Europa (+1) e Oceania (+1), reduções na América (-4) e Ásia (-2).

Religiosos

Religiosas
 e religiosos não sacerdotes aumentaram globalmente em 436 unidades, chegando ao número de 54.665. Registraram-se aumentos na África (+254), Ásia (+411), Europa (+17) e Oceania (+15). Diminuíram apenas na América (-261). Confirma-se a tendência à diminuição global das religiosas (-7.436) que são 721.935 no total, assim divididas: neste ano, também os incrementos são na África (+1.395) e Ásia (+3.047), as reduções na América (-3.178), Europa (-8.461) e Oceania (-239).

Missionários leigos e catequistas

O número de Missionários leigos no mundo é de 335.502 unidades, com um aumento global de 15.276 unidades e aumentos continentais na África (+1.135), América (+14.655), Europa (+1.243) e Oceania (+62); a única redução é na Ásia (-1.819).
Os Catequistas no mundo aumentaram no total em 9.551 unidades, alcançando 3.160.628. Os aumentos se registram na América (+43.619), Europa (+5.077) e Oceania (+393). Diminuições na África (-29.405) e Ásia (-10.133).

Institutos de instrução e educação

No campo da instrução e da educação, a Igreja administra no mundo 70.544 escolas, frequentadas por 6.478.627 alunos; 92.847 escolas fundamentais, com 31.151.170 alunos; 43.591 institutos secundários, com 17.793.559 alunos. Além disso, segue também 2.304.171 alunos de escolas superiores e 3.338.455 estudantes universitários. O confronto com o ano precedente indica um aumento de escolas (+2.425) e uma redução de alunos (-43.693); uma leve redução no número de escolas fundamentais (-124) e um aumento de alunos (+178.056); aumentam os institutos secundários (+1.096) e seus respectivos alunos (+678.822); em aumento também os estudantes de escolas superiores (+15.913) e de universitários (+63.015).

Institutos de saúde, de beneficência e assistência

Os institutos de beneficência e assistência administrados no mundo pela Igreja incluem: 5.305 hospitais, com maior presença na América (1.694) e África (1.150); 18.179 postos de saúde, em maioria na América (5.762), África (5.312) e Ásia (3.884); 547 leprosários, distribuídos principalmente na Ásia (285) e África (198); 17.223 casas para idosos, doentes crônicos e portadores de deficiência, em maioria na Europa (8.021) e América (5.650); 9.882 orfanatos, um terço dos quais na Ásia (3.606); 11.379 jardins de infância; 15.327 consultórios matrimoniais, distribuídos em grande parte na América (6.472); 34.331 centros de educação ou reeducação social e 9.391 instituições de outros tipos, em maioria na América (3.564) e Europa (3.159).

Agência Fides

Os dons do Espírito Santo

Em síntese: Os dons do Espírito Santo são como “receptores” aptos a captar os impulsos do Espírito mediante os quais o cristão se encaminha para a perfeição em estilo novo ou com a eficácia que o próprio Deus lhe confere. Possibilitam ao cristão ter a intuição profunda do significado das verdades reveladas por Deus assim como de cada criatura. Proporcionam também tomadas de atitude que nem a razão natural nem as virtudes humanas, sujeitas sempre a hesitações e falhas, conseguiriam indicar ou efetivar.

Para ilustrar o que são os dons, pode-se recorrer à imagem de um barco que navega: se é movido a remos, avança lenta e penosamente, com grande esforço para os remadores. Caso, porém, estes desdobram as velas do barco para que capte o sopro dos ventos favoráveis, os remadores descansam e o barco progride em estilo novo segundo velocidade “sobre-humana”. – Ora o barco movido ao sopro do vento que bate contra as velas, é imagem do cristão impelido pelo Espírito, segundo medidas divinas, para a meta da sua santificação.

Os dons do Espírito Santo são sete, segundo a habitual recensão dos teólogos: sabedoria, entendimento, ciência, conselho, fortaleza, pie­dade, temor de Deus. Para se beneficiar da ação do Espírito Santo, o cristão deve dispor-se de duas maneiras principais: a) cultivando o amor, pois é o amor que propicia afinidade com Deus e, por conseguinte, torna o cristão apto a ser movido pelo Espírito de Deus; b) procurando jamais dizer um Não consciente e voluntário às inspirações do Espírito. Quem se acostuma a viver assim, cresce mais velozmente na sua estatura definitiva e se configura mais fielmente ao Cristo Jesus.

Clique aqui e continue lendo

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Quem nos protege: Jesus ou os anjos?

Por diversas vezes Jesus afirmou que permaneceria com o seu povo, protegendo-o, intercedendo por ele junto ao Pai. Sendo assim, qual o papel dos anjos protetores? De que forma agem? A realidade angélica é uma verdade de fé revelada pelo próprio Deus e é sobre ela que Padre Paulo Ricardo fala nesta Resposta Católica.

Ouvir e atender o chamado de Deus

Deus, em Sua infinita bondade, concede-nos muitas qualidades. Por exemplo: há pessoas que têm uma bela voz, outras sabem liderar, outras são hábeis em escrever, algumas ainda discursam muito bem.

Tudo isso nos faz crescer pessoal e socialmente, trazendo um sentido mais profundo para a nossa vida: servir ao próximo. No entanto, muitas vezes, há aqueles que enterram aquilo que têm de melhor. Alguns subestimam seus próprios talentos ou não acham tempo nem lugar para aplicá-los. Há também pessoas que acreditam não fazer falta na obra.

Muitos, no entanto, abrem o coração e ouvem o chamado do Senhor por meio de diversos sinais, desde uma simples oração até uma palavra de sabedoria do irmão. É Deus nos convidando: “Segue-me” (Mc 5,27). Porém, poucos respondem a este chamado. Aí vem a pergunta de São Tiago: “De que aproveitará, irmãos, a alguém que tem fé se não tiver obras?” (Tg 2, 14). Sendo assim, é preciso ser como Isaías e dizer a partir de hoje: “Eis me aqui, envia-me”! Cantar como na música: “Eu tenho um chamado, jamais vou me calar!”. É realizando a vontade do Senhor que encontramos a verdadeira felicidade.

No Novo Testamento, há uma passagem que diz: “a vontade de Deus é a vossa santificação” (1 Ts 4,3).

No início da minha vida na Igreja, por exemplo, fui acolhido pela Pastoral da Música e comecei a cantar nas Missas dominicais. Depois de um tempo, senti que poderia doar mais. Iniciei minha participação na Pastoral da Comunicação. Hoje, faço parte de um grupo de oração chamado Jovens Sarados!

Ainda sinto o Senhor me chamando para águas mais profundas. Vejo-me na canção de Eliana Ribeiro: “Barco a vela solto pelo mar, indo aonde o vento do Senhor levar…” Também como na Palavra: “Eis a graça que o Senhor me fez, quando lançou os olhos sobre mim…” (Lc 1,23).

Termino dizendo: “Nada, nada, me fará voltar. Sou de Deus e já não me pertenço mais”, pois só em Ti encontro meu repouso, a verdadeira alegria e paz! Eis o meu breve testemunho.

E você, por que não coloca a serviço do Reino as qualidades que Deus lhe concedeu?

Fonte: http://cancaonova.com/

Teologia da prosperidade

Adoração ou tentativa de barganha com Deus? Servir a Deus ou ser servido por Deus? Honrar ou ser honrado? Ir à igreja buscar a Deus ou para ficar rico? A teologia da prosperidade é bíblica?


“Leilões da fé”: assim ficaram popularmente conhecidos os cultos, tidos como religiosos, em que se propõe a barganha com Deus, na propagação de ensinamentos do tipo ‘quem der mais será mais abençoado’: Esta é a base da pregação dos que promovem a malfadada “teologia da prosperidade”, uma proposta de se servir a Deus não por amor ou devoção, mas com a intenção de ser recompensado.

Segundo essa linha de pensamento, - que por incrível que pareça é defendida por indivíduos que se autoproclamam “cristãos”, - se você frequentar tal “igreja” e ouvir o que diz o “pastor”, pagando o dízimo e fazendo muitas ofertas, você será ricamente abençoado. Se tiver problemas conjugais, eles serão sanados. Se tiver algum desejo material, como um carro importado, uma viagem, aquela reforma da casa ou montar uma empresa, ele será realizado. Deus espera que você demonstre sua fidelidade fazendo polpudas doações financeiras; em troca, verá todos os seus desejos e vaidades serem recompensados, e viverá com saúde uma longa e próspera existência nesta terra...

Mas como essa história começou? Especialistas apontam que a teologia da prosperidade surgiu nos Estados Unidos, nas décadas de 1950/60. De acordo com o Dr. Leonildo Silveira Campos, sociólogo e professor da Universidade Metodista de São Paulo, trata-se de um conjunto de crenças “que afirma ser legítimo ao crente buscar resultados, ter fortuna favorável e enriquecer, obtendo o favorecimento divino para a sua vida material”. O teólogo Paul Freston observa que “o princípio básico da teologia da prosperidade é a doação financeira, entendida não como um ato de gratidão ou devolução a Deus pelos frutos da terra e do trabalho (como no contexto bíblico), mas como um investimento. Devemos dar a Deus para que ele nos devolva com lucro, em dobro”.

Observando de perto as propostas da teologia da prosperidade, encontramos sérios motivos para preocupação. As promessas de felicidade terrena encontram solo fértil nos países em que existe um grande nível de exclusão social, o que possibilita a manipulação de mentes e corações simples em nome da fé. Além disso, sob essa perspectiva, a religião assume a lógica do consumo e do mercado, para a qual a dignidade do ser humano depende daquilo que ele tem, e não daquilo que ele é. Isso leva à ideia, equivocada e perigosa, de que ter mais dinheiro significa ser mais amado por Deus, o que por sua vez é antibíblico e contrário à proposta e ao exemplo de vida de Jesus Cristo.

É fácil notar que a teologia da prosperidade busca transformar a sublime mensagem dos Evangelhos em apenas mais um item da malfadada cultura do consumo exacerbado, levando a uma fé individualista e egoísta, para a qual o mais importante é a felicidade pessoal, com o bem da coletividade relegado a segundo plano. A lógica da Teologia da Prosperidade se fundamenta nas promessas de sucesso material e financeiro para quem é fiel a Deus: ensina que o nível de sucesso depende do valor da contribuição financeira. Esse discurso apresenta, claramente, uma proposta de troca, de barganha entre o fiel e Deus. E como Deus não vem pessoalmente receber as doações, elas devem ser entregues àqueles que se colocam como representantes do Divino.



Famoso "bispo evangélico" prostrado
diante das pilhas de dinheiro
oferdadas durante um "mega culto":

idolatria a Mamon?
Aí estão os tristes fatos de uma realidade que vem crescendo a cada dia em nossa cidade e em nosso país. Nos bairros mais pobres de São Paulo, a cada quarteirão encontramos 3, 4 e até 5 pequenos salões ou garagens alugadas e transformadas em “igrejas”, sob as mais variadas denominações. Reflita: se a intenção desses supostos líderes espirituais é “salvar almas para Cristo” (como gostam de afirmar), e se eles acreditam mesmo no protestantismo, porque então abrem novas “igrejas” ao lado de outras já existentes? Não seria mais simples e lógico incentivar a população a frequentar as comunidades já existentes? Óbvio que o objetivo destes verdadeiros empresários da fé não é espiritual, ao contrário. Cabe aos verdadeiros cristãos a tarefa de substituir a teologia da prosperidade pela Teologia do Amor e da Gratuidade, aquela ensinada por Nosso Senhor nos Evangelhos.

Vale a pena refletir sobre um fato ocorrido na vida de Madre Teresa de Calcutá. Conta-se que certo homem, ao vê-la cuidando das feridas de um doente, comentou que não teria coragem de fazer aquilo nem que fosse para ganhar um milhão de dólares. Diante disso, a resposta de Madre Teresa foi a seguinte: “Por um milhão de dólares eu também não faria. Faço por amor.”

Só pela gratuidade do amor vale a pena buscar a Deus. Só por amor faz sentido entregar a vida a Deus e assumir a vida cristã, com todas as suas alegrias e também com os seus desafios e obstáculos, como diz o Senhor: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a cada dia sua própria cruz e me siga” (Lc 9,23). Nunca, - jamais, - Jesus disse que seus seguidores abraçariam uma vida somente de alegrias e de prosperidade, livre de todos os problemas deste mundo. Nada, feito sem amor, tem valor para Deus: o sentimento que havia em Cristo era o de intima compaixão com os necessitados - jamais o de barganha, ou seja, ofertar para receber riquezas como pagamento. E se os defensores da teologia da prosperidade alegam se basear nas Escrituras Sagradas, a melhor maneira de concluir esta reflexão é com as afirmações diretas que a Bíblia contém a respeito da questão:

"No mundo, tereis aflições. (...) Guardai-vos escrupulosamente de toda avareza e cobiça, porque a vida de um homem, ainda que ele esteja na abundância, não depende de suas riquezas."
Jesus Cristo (Lc 12, 15 e Jo 16, 33)

“Se alguém ensina outras doutrinas e discorda da sã doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo, é orgulhoso e nada entende. Esse tal demonstra um interesse doentio por controvérsias e contendas acerca de palavras, que resultam em inveja, brigas e atritos constantes, entre os que têm a mente corrompida e que são privados da verdade, os quais pensam que a piedade pode ser uma fonte de lucro.”
Apóstolo Paulo (1 Timóteo 6, 3-5)

"Aprendi a contentar-me com o que tenho."
Paulo Apóstolo (Filipenses 4, 11)

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro. (...) Se quiseres ser perfeito, vai, vende os teus bens e dá aos pobres, e terás um tesouro nos Céus. Depois, vem e me segue’. E o jovem, ouvindo estas palavras, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.”
Jesus Cristo (Matheus 6, 24 / 19, 21-22)

Quem tem olhos para ver, que veja a verdade... Mas não desanimemos. Nosso Deus tudo sabe e tudo vê, e um dia todos prestarão contas a Ele. Os erros existem, mas o certo existe também. Continue lendo e estudando a Palavra de Deus e ouvindo a voz da sua consciência. - continue buscando o verdadeiro caminho de Jesus Cristo. Conheça o Catecismo da Igreja Católica: busque, sempre e antes de tudo, a verdade.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Como devemos fazer o sinal da cruz?

Ez 9,4 "O Senhor falou com ele: 'Percorre a cidade de Jerusalém e marca com uma cruz a testa dos indivíduos que estiverem se lamentando e gemendo por causa das abominações que se fazem no meio dela'".


II Encontro com as Lideranças Católicas e Pró-Vida

A fraternidade Arca de Maria promove, entre os dias 11 e 13 de janeiro, a 2ª edição do Encontro com as Lideranças Católicas e Pró-Vida, que acontecerá em Luziânia.

Segundo Irmã Maria Clara, uma das organizadoras, “trata-se de uma formação para os fiéis católicos, principalmente líderes de movimento ou comunidades”, que será ministrada pelo Pe. Paulo Ricardo, Pe. Rodrigo Maria, fundadores da Fraternidade Arca de Maria.

O encontro contará ainda com participação de Elba Ramalho, que dará o seu testemunho pro-vida, e de fundadores de várias comunidades católicas de Brasília e região.

O interessado em participar deve entrar em contato com a fraternidade, por e-mail, para preencher o formulário de inscrição. Em seguida, deve efetuar o pagamento, no valor de R$ 100,00, através de depósito em conta corrente.

Vale lembrar que a taxa de inscrição inclui hospedagem, alimentação e transporte, do aeroporto ou rodoviária de Brasília até o local do evento.

Anote: Banco do Brasil / Agência: 0324-7 / Conta Corrente: Cc: 435306-4.

Feito isso, envie o comprovante de depósito para o e-mail: casasaojose_arca@yahoo.com.br.

Finalizado o processo, aguarde, pois será encaminhada para o seu e-mail, cadastrado, a confirmação de sua inscrição.

Não perca tempo! As vagas são limitadas!


Informações:
E-mail: casasaojose_arca@yahoo.com.br
Contato: (62) 3316-5841/ 8248-9916/ 8119-8099
WMblog.blogspot.com - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por: Rodrigo Vidigal